16.8.15

THE HORN OF PLENTY DRESS - SUMMER 2015

THE HORN OF PLENTY DRESS - SUMMER 2015
de TANIA ARIAS
Fotografia de SUSANA PAIVA



7.8.15

New World Order

Quando o Teatro Esther de Carvalho abriu portas, para acolher os públicos que acorreram à palestra de Cláudia Galhós, o som dos Test Dept já habitava a sala numa alusão ao concerto de 1992, em Montemor-o-Velho, que corresponde à fundação da actual equipa do Citemor. O festival arrancou com "New World Order".


6.8.15

O Citemor resiste! Viva!

Apesar dos cortes consecutivos, a direcção do festival de Montemor-o-Velho entende que o Citemor é uma construção colectiva e decide não baixar os braços. Num acto de puro activismo, e com a cumplicidade de artistas e amigos, a 37º edição do festival decorre de 6 a 8 de Agosto, em Montemor-o- Velho








“Que se interrompam as férias! Que se pare o País” é o mote de Cláudia Galhós, jornalista do Expresso, que conduz uma palestra sobre a história, sobre o presente e sobre o futuro do Citemor. Porque importa despertar a memória de tudo o que o Citemor já fez e o que significou, mas também o que ainda significa, o festival abre com uma discussão acerca da importância da sua existência e viabilização para o futuro. Conduzida por Cláudia Galhós, a palestra decorre no dia 6 de Agosto, às 22h, no Teatro Esther de Carvalho.

Realizado num ambiente de precariedade absoluta, e que a organização entende como um acto de activismo, o 37º festival de Montemor-o-Velho apresenta propostas entre a área da dança e do teatro. Elena Córdoba e Francisco Camacho, duas referências da dança contemporânea, encontram-se por 48 horas, num mano a mano ibérico. Conhecem-se através das suas criações há muitos anos, mas apenas agora trabalham juntos. Transitando pelas memórias que têm das obras um do outro, os artistas propõem um Francisco Camacho com corpo de Elena Córdoba e uma Elena Córdoba com corpo de Francisco Camacho. “Uma Ficcção na Dobra do Mapa” decorre no dia 7 de Agosto, às 22h. Ainda na dança, a bailarina espanhola Tania Arias regressa ao Citemor com um fragmento de um projecto mais amplo a que o festival está associado. “The Horn of Plenty Dress – Summer 2015”, interpretado por Arias com colaboração especial de Sindo Puche, decorre também no dia 7 de Agosto.
Para o último dia do festival, 8 de Agosto (Sábado), Raquel André, uma coleccionadora de intimidades ficcionadas, apresenta a sua “Colecção de Amantes”. A performer marcou encontros em apartamentos desconhecidos, com desconhecidos, e durante uma hora ficcionou uma intimidade de quem se conhece há vários anos. Entre o Rio de Janeiro, Lisboa e Ponta Delgada, Raquel André soma já 73 encontros. Ainda em processo de criação, a performer pretende apresentar alguns materiais de pesquisa e recolher reacções por parte dos espectadores. O Citemor oferece, assim, uma antevisão da obra que tem estreia marcada para o dia 11 de Setembro, no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa.
O Teatro do Vestido marca presença no Citemor numa performance em progresso, com a apresentação de materiais e percursos do seu projecto futuro “Filhos do Retorno”. A partir da recolha de histórias e testemunhos de filhos de pessoas que habitavam as ex-colónias portuguesas e que regressaram muito novos à metrópole, ou que nem sequer chegaram a conhecer África, este projecto trata da transmissão familiar destas memórias, ou da ausência dessa transmissão. “Bairro das Ex-colónias” é escrito como um mapa afectivo a partir de um bairro de Lisboa que ainda retém a alcunha inoficial. Criado especialmente para o Citemor enquanto acto de resistência cultural, “Bairro das Ex-colónias” é apresentado no dia 8 de Agosto.
O Colectivo 84 fecha o programa do Citemor com “Pasolini Is Me”, uma leitura encenada em tom de celebração, com alguns poemas inéditos em português de Pasolini. Concebida para os foyers dos teatros nacionais, a performance é agora adaptada para o Castelo de Montemor-o-Velho. “Pasolini Is Me” é uma criação de John Romão com os artistas plásticos João Pedro Vale & Nuno Alexandre Ferreira e o músico Nicolai Sarbib. Interpretado por Albano Jerónimo, Ana Bustorff, John Romão, Mariana Tengner Barros, Pedro Garcia e Solange Freitas, a performance decorre no dia 8 de Agosto, no Castelo de Montemor-o-Velho.
Os espectáculos serão vistos como um percurso, tendo início às 22h, sempre no Teatro Esther de Carvalho. Daí os espectadores serão guiados para os locais onde vão decorrer as outras propostas. À semelhança dos anos anteriores, naquilo que é já uma prática habitual, é o espectador que define o preço dos bilhetes, de acordo com a sua expectativa e possibilidade. As reservas para as sessões devem ser feitas através do e-mail reservas@citemor.com ou do número 916 688 601 (das 14h às 20h).

31.7.15

T-shirt DIY

video
A partir de um original com realização, fotografia e animação de Maarit Halonem e edição e pós-produção Ideias com Peso.

Por uma ideologia de esperança

O Citemor não beneficiou de apoios estruturais nos últimos três anos. Não está em causa apenas o subfinanciamento crónico do sector, agudizado recentemente, mas uma distribuição injusta dos recursos existentes. Apesar disso, o festival não parou.

Tendo em conta o esforço das últimas edições e um percurso de mais de três décadas, entendemos que não devíamos tomar a decisão de suspender o festival entre nós. Porque o Citemor é uma construção colectiva, um festival historicamente muito participado, decidimos auscultar a comunidade artística. Ouvimos artistas e companhias com uma importância fundadora para o Citemor, que influenciaram o seu carácter e que têm uma noção clara do seu percurso. Do que foi e do que poderia ter sido. Ouvimos alguns programadores de teatros e de festivais muito diversos, mas também uma nova geração de criadores que, provavelmente, nunca terá acesso a meios de produção aceitáveis.
Fortalecidos com o resultado desta auscultação, decidimos dedicar todo o segundo semestre deste ano à reflexão e à discussão, cumprindo uma agenda de encontros de trabalho que se prolongarão pelo Outono, com o objectivo de identificar formas concretas para garantir a continuidade do festival. Por outro lado, concordamos com a pertinência de encontrar um gesto de carácter performativo que sinalize este Verão.

Vamos estar reunidos em Montemor-o-Velho para a 37ª edição do Citemor entre 6 e 8 de Agosto. Convidamos os públicos para uma palestra sobre o percurso do festival seguida de uma discussão. E para duas noites em que desenhamos um roteiro pela vila, que nos conduz através de diferentes propostas artísticas. Momentos únicos. Acontecimentos singulares, irrepetíveis.
Num quadro dominado pela precariedade absoluta, este programa é um gesto de puro activismo. Um gesto de indignação que se inscreve, que se imprime. Por uma ideologia de esperança.

Quinta 6 Agosto 22:00 Teatro Esther de Carvalho
QUE SE INTERROMPAM AS FÉRIAS, QUE SE PARE O PAÍS!_ CLÁUDIA GALHÓS

Sexta 7 Agosto 22:00 Teatro Esther de Carvalho
UMA FICÇÃO NA DOBRA DO MAPA_ ELENA CÓRDOBA & FRANCISCO CAMACHO
seguido de

THE HORN OF PLENTY DRESS - Summer 2015_ TANIA ARIAS

Sábado 8 Agosto 22:00 Teatro Esther de Carvalho
COLEÇÃO DE AMANTES_RAQUEL ANDRÉ
seguido de

BAIRRO DAS EX-COLÓNIAS_TEATRO DO VESTIDO
seguido de

PASOLINI IS ME_ COLECTIVO 84

Os percursos terão início sempre no Teatro Esther de Carvalho, sempre às 22:00, apesar de as obras decorrerem em vários espaços da vila.
O espectador é que define o preço do bilhete. Reservas através do e-mail reservas@citemor.com ou do número 916 688 601 (das 14h às 20h)


1.7.15

Stencil #37