8.8.12

Nova Dança Portuguesa

Texto de Claudia Galhós, publicado no caderno Actual do Expresso a 04.08.2012

Quem são, onde estão e qual é a dança dos novos criadores portugueses? Retratos de corpos com mobilidade e sangue que recusam a morte

" «Escolhi a dança porque me posso atirar ao que não sei. Porque é o meu amor experimental, é o meu recreio, é a minha viagem, é o que invento, é o que encontro.» É assim que António Pedro Lopes começa por responder à questão: porquê a dança e porquê coreografar? Ele faz parte da geração nascida nos anos 80 (nasceu em 1981, em Ponta Delgada) e é um dos protagonistas de uma renovação na dança portuguesa, simultaneamente enquanto intérprete e coreógrafo. Além dele, há outros nomes que participam deste movimento, como Mariana Tengner Barros, Elizabete Francisca, Teresa Silva, Márcia Lança, David Marques, Rita Natálio e Gui Garrido, por exemplo...
A dança contemporânea permanece num território desconhecido, de difícil acesso para os menos familiarizados com os seus códigos e mundos de imaginação. Esta imagem colou-se-lhe com a primeira geração de criadores contemporâneos da linguagem do corpo, que surgiu na década de 80 em Portugal e que foi apelidada de Nova Dança Portuguesa. Não corresponde à realidade, mas permanece imutável."