11.12.12

Co-produção Citemor estreia amanhã

“Eu não sou bonita. Eu sou o porco”, obra dirigida por John Romão, está em cena na associação cultural Negócio/ZDB, em Lisboa, até 29 de Dezembro

(Fotografia de Susana Paiva)

Um objecto teatral sobre o abuso sexual na infância e na adolescência. É isto que nos propõem John Romão e Solange Freitas, intérpretes de “Eu não sou bonita. Eu sou o porco”, espectáculo com estreia marcada para amanhã, 12, na Negócio/ZDB, em Lisboa. A obra, apresentada informalmente na edição deste ano do Citemor, é a mais recente criação de John Romão e baseia-se em textos de Angélica Liddell e Paulo Castro. “Em cena, uma linguagem de um lirismo que evoca o universo negro dos contos infantis e o cinema gore, num peep show pictórico alimentado por duas figuras que se revestem do endemoniamento das personagens de Frans Hals e da nudez grega de Louis David”, lê-se na sinopse do espectáculo.
“Eu não sou bonita. Eu sou o porco” é uma co-produção do Citemor com o Colectivo 84 e a Vertigo e decorre até 29 de Dezembro, de quartas a sábados, às 21h30, na Negócio/ZDB, em Lisboa.

Para reservas e mais informações, visite o site da Negócio/ZDB


(Vídeo de Hugo Barbosa e Pamela Gallo)

27.11.12

Um monstro no Espaço Alkantara

"Monstro (parte 1: Calamidade)" é uma criação em progresso do Teatro do Vestido e foi apresentado pela primeira vez na edição deste ano do Citemor, em Agosto. Tem agora estreia marcada para hoje, 27, no Espaço Alkantara, em Lisboa


(Vídeo de Hugo Barbosa e Pamela Gallo)

A obra é a primeira parte de um projecto dividido em três (1: Calamidade; 2: Hecatombe; e 3: Apocalipse), em que o colectivo expõe a situação económica e social em que Portugal se encontra, entendendo que "este é o momento para fazer teatro sobre isto". "A 'isto' chamámos calamidade, e ao conjunto de calamidades que nos trouxeram até aqui, chamámos monstro", lê-se na sinopse da obra. O espectáculo está em cena no Espaço Alkantara, em Lisboa, de 27 de Novembro a 2 de Dezembro, às 21h30.
A mais recente criação do Teatro do Vestido foi apresentada em Agosto, em Montemor-o-Velho, e na extensão do Citemor a Madrid, em Outubro passado.

21.11.12

Rafael Alvarez e Elena Córdoba estreiam obras apresentadas no Citemor

No próximo fim-de-semana, o festival dá continuidade à sua presença em Lisboa e em Madrid com a estreia de duas obras que tiveram uma primeira apresentação em Montemor-o-Velho


(Vídeo de Hugo Barbosa e Pamela Gallo)

Reconhecido por proporcionar um primeiro encontro de obras com o público – espectáculos ainda em fase de criação, antestreias ou estreias absolutas –, o Citemor desempenha um papel fundamental enquanto produtor de novas obras, permitindo levantar o véu sobre a temporada seguinte. “sweetSKIN”, de Rafael Alvarez, e “Atlas, el gigante y la vértebra”, de Elena Córdoba, apresentados na edição deste ano do festival como antestreias, estreiam agora em Lisboa e Madrid, respectivamente. “sweetSKIN” fez ainda parte da programação da extensão do Citemor a Madrid, em Outubro, e a mais recente criação da bailarina e coreógrafa espanhola decorre agora no âmbito do XXVII Festival Internacional Madrid en Danza.
Um encontro improvável entre a personagem de um skinhead com as Suites para Violoncelo Solo de Bach. É isto que nos sugere Rafael Alvarez. O bailarino e coreógrafo português, acompanhado pelo violoncelista Nuno Abreu, procura reflectir sobre os nossos modos de ver e perspectivar a realidade, desenvolvendo algumas ideias-chave relacionadas com o papel dos estereótipos, dos preconceitos e dos equívocos face à representação do corpo e da identidade. O espectáculo decorre nos dias 23 (21h) e 24 de Novembro (19h), no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.
O Teatro Pradillo, em Madrid, acolhe “Atlas, el gigante y la vértebra”, a mais nova criação da bailarina e coreógrafa Elena Córdoba, onde a artista espanhola constrói um paralelismo entre a primeira vértebra da coluna (de seu nome Atlas) e Atlas, o gigante castigado por Júpiter, que o obrigou a segurar o céu para que este não desabasse sobre a terra. A obra, com estreia marcada para os dias 23, 24 e 25 de Novembro, vem no seguimento do projecto “Anatomia Poética” sobre o qual a bailarina e coreógrafa tem vindo a trabalhar nos últimos anos, tendo apresentado no Citemor as obras “La mujer de la lágrima”, “Museos del silencio”, “Todo lo que se mueve está vivo” e “Expulsadas del paraíso.

12.11.12

Branca de Neve viaja para Madrid

O mais recente trabalho da bailarina e coreógrafa espanhola Olga Mesa, "El lamento de Blancanieves", vai ser apresentado entre os dias 14 e 17 de Novembro, no Teatro Pradillo


(Vídeo de Hugo Barbosa e Pamela Gallo)

Depois da apresentação na Culturgest, em Lisboa, "El lamento de Blancanieves", de Olga Mesa, terá agora lugar em Madrid, no âmbito do XXVII Festival Internacional Madrid en Danza. O espectáculo, interpretado pela própria Olga Mesa e pela portuguesa Sara Vaz é uma co-produção entre Portugal (Citemor), Espanha e França e pode ser visto entre os dias 14 e 17 de Novembro, às 21h, no Teatro Pradillo. 
Inspirado no poema de Robert Walser e no filme de João César Monteiro, "El lamento de Blancanieves" foi criada em residência artística em Montemor-o-Velho, em 2010, tendo estreado em Guimarães - Capital Europeia da Cultura, em Março de 2012. 
Ainda no âmbito do XXVII Festival Internacional Madrid en Danza, o Teatro Pradillo acolhe, também, Elena Córdoba e a sua nova criação "Atlas, el gigante y la vértebra", uma obra que teve estreia na edição deste ano do Citemor. O espectáculo decorrerá nos dias 23, 24 e 25 de Novembro. O festival, a decorrer desde 5 de Novembro, é organizado pela Comunidad de Madrid e conta com mais de 50 apresentações de 22 espectáculos diferentes, ocupando a rede de teatros da capital espanhola.

Para mais informações visite os sites do Teatro Pradillo e do XXVII Festival Internacional Madrid en Danza.

7.11.12

Culturgest recebe "O Lamento da Branca de Neve"


A obra de Olga Mesa, criada em residência artística em Montemor-o-Velho, em 2010, e co-produzida com o Citemor, com o Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, FRAC Alsace /Sélestat e o Théatre Pôle Sud de Strasbourg, vai ser apresentada esta sexta-feira, 9, e sábado, 10, às 21h30, na Culturgest, em Lisboa. Inspirada no poema de Robert Walser e no filme de João César Monteiro, Olga Mesa entende Branca de Neve como a morte. "Para mim, um dos aspectos mais curiosos é a convicção que tenho que o César Monteiro conhecia a Branca de Neve de Walser onde às tantas se lê 'em vez de olhar, prefiro escutar'. Quando li essa frase no Walser pensei que o César Monteiro não estava apenas a mandar a lógica da indústria, neste caso do cinema, às urtigas. Está em sintonia com o Walser. A Branca de Neve deles não queria estar neste mundo, estava desinteressada do mundo, como provavelmente César Monteiro estava. Ele realizou mais um filme e morreu", contou a artista em 2010 ao blogue do Citemor.
A mais recente criação da bailarina e coreógrafa espanhola estreou em Guimarães - Capital Europeia da Cultura e está inserida na programação do festival Temps d'Image. Para mais informações visite o site da Culturgest.


1.11.12

Obra produzida pelo Citemor na Culturgest

O espectáculo "Measure it inches", de António Pedro Lopes e Marianne Baillot, estreou no Citemor em 2011 e vai ser apresentado na Culturgest, no âmbito do programa Celebração que decorre de 1 a 4 de Novembro. A obra é uma co-produção com o Citemor, com o Théâtre de Vanves - Scéne Nationale de Danse, com o Espaço do Tempo e com o CCN Belfort. "Measure it in inches" decorre na sexta-feira, 2, às 22h.


António Pedro Lopes e Marianne Baillot | Measure it in inches | Vídeo de Hugo Barbosa e Pamela Gallo 




Para mais informações visite o site da Culturgest.

1.10.12

Citemor em Madrid


De 4 a 14 de Outubro o festival de Montemor-o-Velho estende-se à capital espanhola afirmando a vitalidade e potencial do projecto





É no Teatro Pradillo, em Madrid, que decorre a extensão da 34ª edição do Citemor, um programa que conta com 9 sessões de 3 espectáculos, uma vídeo-instalação, duas “maratonas” de vídeo e uma projecção de cinema.
Uma criação em progresso do Teatro do Vestido, “Monstro (parte 1: Calamidade)”, abre o programa. Esta é a primeira parte de um projecto dividido em três (1: Calamidade; 2: Hecatombe; e 3: Apocalipse), em que o colectivo expõe a situação económica e social em que Portugal se encontra, entendendo que “este é o momento para fazer teatro sobre isto”. “A ‘isto’ chamámos calamidade, e ao conjunto de calamidades que nos trouxeram até aqui, chamámos monstro”, lê-se na sinopse da obra. O espectáculo será apresentado nos dias 4, 5 e 6 de Outubro, às 21h.
Também a partir do dia 4, e até ao final do programa, Luís Alegre passa por Madrid com uma versão para o Teatro Pradillo de “Play Them #02”, vídeo-instalação apresentada na edição de 2011 do Citemor. “Play Them #02 [Pradillo]” é composta por quatro animações produzidas para o festival em que o artista, após pesquisar os registos videográficos do Citemor, opta por intervir sobre a documentação da obra da coréografa Elena Córdoba, artista residente no Teatro Pradillo. A presença de Luís Alegre no Citemor decorre de um programa de curadorias delegadas na área das artes visuais, tendo a sua obra sido comissariada por José Maçãs de Carvalho.
Nos dias 7 (das 12h às 24h) e 14 (das 12h às 20h) de Outubro decorre “Maratón de Video”, uma mostra de vídeos de criadores espanhóis no Citemor comissariada por Fernando Renjifo. Os vídeos são realizados por Hugo Barbosa, colaborador do festival de Montemor-o-Velho, e dizem respeito a espectáculos apresentados no Citemor a partir de 1999. Entre os vídeos propostos encontram-se obras que não estrearam em Madrid, criações in situ e obras realizadas numa grande diversidade de espaços que o festival vem a ocupar em Montemor-o-Velho (ruínas, armazéns industriais, igrejas, campos de arroz, etc.). Esta acção documenta também a relação que os criadores estabelecem com os espaços e a forma como estes marcam as suas criações.
A segunda semana do programa segue nos dias 11, 12 e 13 de Outubro com dança em dose dupla: Francisco Camacho e Rafael Alvarez. “Nossa Senhora das Flores”, um solo do bailarino e coreógrafo português Francisco Camacho, estreado em 1993, é uma das obras de referência da dança contemporânea portuguesa.  Segue-se Rafael Alvarez com a antestreia de “sweetSKIN”, solo com estreia marcada para Novembro no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. Realizando um investimento marcante no desenvolvimento do seu trabalho a solo, o bailarino e coreógrafo português questiona “de que forma é que a percepção de qualquer imagem é afectada pelo que sabemos, pelo que acreditamos, da mesma forma que a distância ou a proximidade definem a perspectiva de como olhamos e analisamos um objecto ou uma acção.” Os espectáculos decorrem às 21h.
A presença do Citemor em Madrid termina com cinema. “Montemor”, de Ignasi Duarte, uma co-produção Citemor, Periferia Filmes e Pão Filmes, estreou no FID Marseille 2012 onde conquistou uma Menção Honrosa na categoria de Primeiras Obras. “Montemor” tem estreia em Espanha no dia 14, às 21h, no Teatro Pradillo.
O Citemor transporta para Madrid o modelo de acesso aos espectáculos experimentado na sua última edição, onde cada espectador define o preço do bilhete de acordo com a sua condição financeira e expectativas.


Indicador de vitalidade
O Citemor designou, estrategicamente, o espaço peninsular como a sua zona de intervenção preferencial, concretizando na sua relação com Espanha parte nuclear da sua internacionalização. Durante mais de duas décadas, o Citemor revelou em Portugal criadores espanhóis, acompanhou os seus percursos e co-produziu novas obras, ao mesmo tempo que captava financiamentos e apoios para participar produções nacionais e ampliar a difusão dos artistas portugueses nas diversas autonomias. A presença do festival em Madrid surge, de acordo com a direcção do Citemor, “de forma natural, como algo orgânico que resulta de uma prática e uma ética constantes”. A direcção acrescenta ainda que “a ocupação do Teatro Pradillo, em Madrid, durante estas duas semanas, mais do que uma distinção, é um indicador da vitalidade e potencial do projecto, apesar do sub-financiamento a que foi condenado. É um sinal do reconhecimento da influência do festival enquanto entidade produtora e da sua importância para a criação contemporânea na Península Ibérica.” 

Nova direcção do Teatro Pradillo. Fotografia de Marta Pontes


Teatro Pradillo
A 34ª edição do Citemor foi uma edição de resistência, onde se verificou uma alteração de paradigma: deixou de produzir novas obras com os criadores e companhias e passou, excepcionalmente, a ser participado por estes, que se associaram ao festival com o estatuto de co-produtores. O Teatro Pradillo, que  se uniu a esta edição de resistência com a presença de dois dos seus criadores residentes, recebe agora uma extensão do Citemor com artistas portugueses.
Situado no Bairro de Chamartín, o Teatro Pradillo foi inaugurado em 1990 e desenvolveu uma programação artística baseada na difusão de teatro independente. Em 2012, após 22 anos de actividade, uma nova direcção pretende agora revitalizar o projecto, assente num novo modelo de gestão, para assegurar uma posição de referência na criação cénica contemporânea, enfrentando os desafios artísticos, económicos e de relação com os públicos que um novo contexto sócio-económico implica.

Citemor Madrid | T-shirt DIY

9.9.12

Depoimento do Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho

Declarações de Luís Leal acerca da importância do Citemor enquanto factor de identidade territorial e do seu contributo para a economia da região e do país.

2.9.12

CITEMOR 24 | 2012

Uma câmara compacta circula de mão em mão por períodos de 24 horas. É uma carta branca visual às equipas artísticas, técnicas, de produção e outros colaboradores. Fragmentos do quotidiano de quem faz o festival.


12.08.12 | Vídeo de Pedro Miguel Gouveia | Equipa técnica do Citemor






11.08.12 | Vídeo de Armando Valente | Director do Citemor






09.08.12 | Vídeo de Gustavo Ciríaco | Actor, Agosto, melhor sentado do que de pé melhor deitado que sentado







08.08.12 | Vídeo de Mário Mendes | Equipa técnica do Citemor





07.08.12 | Vídeo de Cláudia Teixeira | Equipa de comunicação e produção do Citemor




06.08.12 | Vídeo de Dinis Machado | Actor e encenador, Black Cats Can See In The Dark But Are Not Seen




05.08.12 | Vídeo de Jorge Jácome | Actor, Black Cats Can See In The Dark But Are Not Seen




03.08.12 | Vídeo de Pedro Nunes | Espectador



02.08.12 | Vídeo de Claudia Faci | Espectadora




01.08.12 | Vídeo de Fernando Renjifo | Encenador, 14 Visiones




31.07.12 | Vídeo de Solange Freitas | Actriz, Eu não sou bonita. Eu sou o porco.




29.07.12 | Vídeo de José Capela | Equipa artística de Philatélie




28.07.12 | Vídeo de Rafael Alvarez | Coreógrafo e bailarino




27.07.12 | Vídeo de Daniel Miracle | Equipa artística de Daisy Planet



26.07.12 | Vídeo de Miguel Mendes | Actor, Teatro da Garagem

1.9.12

FOTOGRAFIA 2012

Fotografias de Susana Paiva

INSTALAÇÃO | Susana Anágua | Gatões - Fábrica de Descasque de Arroz 1 a 9 de 9

























EM ENSAIO | António Pedro Lopes | Agosto, melhor sentado do que de pé melhor deitado que sentado
Fotografias de Susana Paiva




















EM ENSAIO | Dinis Machado | Black Cats Can See In The Dark But Are Not Seen
Fotografias de Susana Paiva




























CITEMOR 2012 
Fotografias de Susana Paiva
























EM ENSAIO | Francisco Camacho | Nossa Senhora das Flores
Fotografias de Susana Paiva





























EM ENSAIO | Elena Córdoba | Atlas, el gigante y la vértebra
Fotografias de Susana Paiva


























EM ENSAIO | Fernando Renjifo | 14 Visiones
Fotografias de Susana Paiva



























EM ENSAIO | Susana Vidal | Bombas (ou agonias para estes tempos felizes de crises)
Fotografias de Susana Paiva

























CITEMOR 2012 | Teatro da Cerca de São Bernardo
Fotografias de Susana Paiva































EM ENSAIO | John Romão & Solange Freitas | Eu não sou bonita. Eu sou o porco.
Fotografias de Susana Paiva


























EM ENSAIO | Teatro da Garagem | Recusa
Fotografias de Hugo Costa Marques





























EM MONTAGEM | Susana Anágua | Gatões - Fábrica de Descasque de Arroz 1 a 9 de 9
Fotografias de Susana Paiva