24.7.16

“In extremis” o Festival de Montemor-o-Velho assegura as condições mínimas para a sua realização e anuncia o seu arranque para 5 de Agosto.

O Citemor assegurou “in extremis” as condições mínimas para a sua realização em 2016. Foi decisivo, para viabilizar a 38ª edição do festival, o empenho do Secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, e de várias entidades que historicamente apoiam o projecto. Após quatro edições de resistência, é com uma esperança renovada e com a expectativa de estar perante um momento de viragem há muito desejado que o Citemor anuncia a sua programação para este ano.

A decorrer entre Coimbra e Montemor-o-Velho, de 5 a 20 de Agosto, esta edição é naturalmente condicionada pelas limitações orçamentais. Mas mais do que instinto de sobrevivência, o Citemor afirma a capacidade de se reinventar e desenhou um programa composto por um conjunto de propostas artísticas, entre criações muito recentes e a remontagem de obras de referência, que responde às suas orientações programáticas e que se inscreve na identidade do festival. Neste programa, o Citemor acolhe criadores emergentes, possibilita o acompanhamento de alguns percursos artísticos, sinaliza a relação privilegiada com Espanha, mas simultaneamente, sem deixar de perspectivar o futuro ao apresentar pela primeira vez criadores com que projecta trabalhar nas próximas temporadas.

Afastado dos apoios estruturais desde 2012 e suportado essencialmente pela comunidade artística, o festival estava em risco até há poucos dias devido à ausência de financiamento. Para além do interesse intrínseco do programa proposto, a realização desta edição permite conduzir o festival até um novo quadro concursal. A intenção é proteger o investimento público e privado já realizado, bem como as dinâmicas associadas ao projecto que subsistem no território.

Face aos condicionalismos, o programa não apresenta obras desenvolvidas em residência de criação ou a estreia de co-produções. Enquanto vector fundamental do projecto, o festival deverá nas próximas edições voltar a materializar a sua vocação na produção de novas obras, continuando a assinar um contributo significativo para a edificação de um repertório contemporâneo.

A pertinência do Citemor não reside apenas no facto de ser o mais antigo festival do país ou de protagonizar um historial notável ao longo de várias décadas. O que torna este festival incontornável, quando dotado dos recursos adequados à sua missão, é o que deverá oferecer no futuro aos artistas e aos públicos, enquanto lugar de criação. 
 

COIMBRA
Sex 5 Ago | 21:30 | Teatro da Cerca de São Bernardo
DINIS MACHADO
PARADIGMA

Sex 5 Ago | 23:00 | Salão Brazil
NICE WEATHER FOR DUCKS

Sáb 6 Ago | 21:30 | Teatro da Cerca de São Bernardo
TIAGO CADETE
ALLA PRIMA


MONTEMOR-O-VELHO
Sex 12, Sáb 13, Sex 19 e Sáb 20 | 18:00 / 22:00 | Junta de Freguesia
LOOPS.Lisboa
TRAVEL SHOT de FRANCISCA MANUEL E ELIZABETE FRANCISCA
O RETRATO DE ULISSES de JOÃO CRISTÓVÃO LEITÃO
CASCADE de JOÃO PEDRO FONSECA

Sex 12 Ago | 22:30 | Teatro Esther de Carvalho
IGNASI DUARTE +
GONÇALO M. TAVARES
CONVERSAS FICTÍCIAS

Sáb 13 Ago | 22:30 | Sala B
MIGUEL BONNEVILLE
MB #6

Sex 19 Ago | 22:30 | Teatro Esther de Carvalho
RUI CATALÃO
DENTRO DAS PALAVRAS

Sáb 20 Ago | 22:30 | Teatro Esther de Carvalho
SURMA


+ informações e reservas: www.citemor.com

16.8.15

THE HORN OF PLENTY DRESS - SUMMER 2015

THE HORN OF PLENTY DRESS - SUMMER 2015
de TANIA ARIAS
Fotografia de SUSANA PAIVA



14.8.15

UMA FICÇÃO NA DOBRA DO MAPA

UMA FICÇÃO NA DOBRA DO MAPA
de ELENA CÓRDOBA & FRANCISCO CAMACHO
Fotografia de SUSANA PAIVA